Estilo de Vida

Jogo do Bicho: Como funciona?

Jogo do bicho

O jogo do bicho é uma prática que existe nas ruas brasileiras de 1892. Surgido no Rio de Janeiro, o sistema de apostas surgiu através de um tentativa de manter o zoológico do Barão Drummond aberto na cidade.

Jogo do bicho

É um jogo inserido na categoria de jogos de azar, pois depende exclusivamente de um sorteio. Os jogos são acessíveis, e quem escolhe o valor investido é o próprio apostador. O sistema de jogo também é simples, exigindo muito pouco além da esperança de acertar o número sorteado.

Saiba como funciona o jogo do bicho, como apostar, e qual é sua sistemática:

Onde jogar?

Os locais de aposta não são legalizados no país. Isso não quer dizer que sejam raros. Há diversos bares, loterias e indivíduos que realizam as apostas. Em geral, se você não conhece nenhum local onde o jogo seja realizado, basta perguntar para alguém.

Por que jogo do bicho?

O nome tem origem no fato de o jogo ter surgido com inspiração em um zoológico. Na época, o local possuía 25 espécies de animais. Dessa forma, foram atribuídos quatro números de dois dígitos para cada animal, de forma que se atingisse opções de 01 a 00. O avestruz, por exemplo, que é o grupo 01, corresponde aos números 01, 02, 03 e 04.

Jogo do bicho tabela

Com esta sistemática simples de associação, é possível realizar diversos tipos de estrutura de aposta e pagamento. Quanto mais específico é o tipo de aposta, maior o pagamento do prêmio (pois é mais difícil acertar o número escolhido).

Os prêmios variam de 18 vezes o valor apostado, até três mil vezes o valor apostado (valor pago a quem acertar o milhar na cabeça).

Tipos de apostas

Por ter sido inspirado em um zoológico, o jogo do bicho pode ser jogado através de números ou animais. Os animais são, na prática, códigos para os números sorteados. As apostas podem ser feitas de diversas formas, que vão desde apostar apenas no grupo (de 01 a 25), até jogos com quatro números.

Algumas cidades apresentam regras diferentes para o jogo. No entanto, as regras básicas de aposta seguem as seguintes diretrizes.

Você pode apostar o milhar “na cabeça”. Isso quer dizer que você escolhe quatro números para apostar, acreditando que eles serão sorteados na ordem apostada. Nesta modalidade, números invertidos ou trocados não geram nenhum prêmio para o apostador.

A aposta comum, no milhar, é aquela onde o jogador escolher seus números, na expectativa de que eles sejam sorteados em algum dos resultados finais. Dependendo da banca, paga-se prêmios menores para o número fora de ordem, ou invertido.

Há, também, o jogo de grupo, Neste caso, o jogador simplesmente aposta em um dos grupos de números entre os 25 animais. O prêmio, nestes casos, é significativamente menor, mas as chances de acertar também aumentam razoavelmente.

O jogo da dezena é aquele em que se aposta na dezena inicial do número sorteado. Ela pode ocorrer apenas com o primeiro prêmio, ou com todos os cinco.

Alguns estados jogam, ainda, versões com três números, ou não apresentam alguns dos tipos de aposta.

O jogo do bicho é legal?

Segundo a lei brasileira, o jogo do bicho é uma prática ilegal. O fato de ser ilegal, no entanto, dá margem a diversos efeitos e interpretações separadas sobre o jogo.

Exemplo disso está na distinção entre o ato de jogar (como consumidor), e o ato de explorar o jogo do bicho (como o “bicheiro”). A exploração do jogo é considerada prática de jogo de azar. Isso quer dizer que é uma infração penal, na lei brasileira. Mais precisamente, configura uma infração do tipo “contravenção penal”.

O ato de apostar, no entanto, não é ilegal, sob as mais variadas perspectivas. Isso quer dizer que o apostador não sofre nenhum tipo de punição, e pode usufruir de seus ganhos. A única condição para isso, é que declare os ganhos em seu imposto de renda, tornando-os lícitos.

Além disso, como a exploração do jogo é uma contravenção, ela não pode ser considerada um crime, propriamente dito. Não há uma pena de reclusão por longo período de tempo, nem penas restritivas graves.

Recomendados Para Você: