Paroxetina para ejaculação precoce: funciona mesmo?

Antes de ler esse artigo, tenho uma pergunta para você: Você tem interesse em demorar muito mais na cama? Quer saber o segredo dos atores pornô e deixar sua mulher LOUCA DE TESÃO? Clique aqui e assista ao vídeo.

Muitas pessoas têm encontrado na paroxetina uma solução viável para a ejaculação precoce. Mas será que esse antidepressivo realmente tem efeitos sobre este problema?

Isso porque são muitos os brasileiros que têm problemas de ejaculação precoce – e as suas causas, como você verá a frente são as mais variadas – e a chegada de uma solução assim pode ser válida para muitos desses homens.

Por essa razão se você quer saber um pouco mais sobre a paroxetina e seus efeitos sobre o corpo humano para combate à ejaculação precoce, continue lendo este artigo e saiba um pouco mais.

Ao final deste artigo você verá como este remédio funciona, quais são os seus efeitos e como você poderá utilizá-lo para retardar os efeitos da ejaculação precoce – e assim ter apenas o lado positivo que o sexo pode trazer para você. Vamos nessa?

Uso da Paroxetina: quais são as principais causas da ejaculação precoce?

Antes de adentrarmos nas razões pelas quais a paroxetina é eficiente, é preciso que entendamos algumas das principais causas da ejaculação precoce.

Em primeiro lugar não existe um consenso geral sobre o que causa esse fenômeno tão desagradável para os homens – e também para as mulheres, pois, impede que a relação sexual seja prazerosa para ambos.

Assim, existem algumas causas que podem ser tanto físicas quanto psicológicas para que isso aconteça.

No caso das causas físicas, ou biológicas, podemos destacar níveis hormonais elevados, assim como de neurotransmissores, atividade anormal do sistema ejaculatório, distúrbios de tireoide, inflamação ou infecção na próstata ou na uretra, fatores genéticos e danos ao sistema nervoso causado por experiências traumáticas ou cirurgias.

Dentre os fatores psicológicos podemos destacar a disfunção erétil, a ansiedade, problemas de relacionamento e até mesmo o uso de alguns medicamentos psicotrópicos, podem causar a ejaculação precoce.

Como a Paroxetina pode ajudar o homem que tem ejaculação precoce?

A paroxetina atua de variadas formas, depende de como ela é aplicada e quais são as especificações que o médico recomendou.

É sabido que antidepressivos podem ser úteis porque um de seus efeitos colaterais é prolongar o tempo necessário para se chegar a ejaculação – mas esses medicamentos devem ser receitados por especialistas, como urologistas ou psiquiatras.

E, como também é sabido, todo medicamento antidepressivo demora em média duas semanas para apresentar resultados. Assim como toda medicação, também, ela produz alguns efeitos colaterais.

A paroxetina se encaixa nesse perfil – se o paciente utiliza como antidepressivo, o efeito pode ser contrário, ou seja, ele irá ter grandes dificuldades para ejacular.

Isso, para homens que possuem problemas relacionados com a ejaculação precoce é muito benéfico, já que eles atuam na raiz do problema.

Assim, todos os remédios da classe ISRS, são considerados favoráveis para o tratamento da ejaculação precoce.

Entretanto, caso você não tenha problemas em sua relação sexual e a dificuldade começou depois do uso do remédio, o mais recomendado é conversar com o seu médico e procurar a solução.

Na maioria das vezes é recomendada a diminuição da dose, o que por sua vez venha a cessar a falta de ejaculação e a dificuldade de chegar ao orgasmo.

Conclusão

Como você pôde perceber, a paroxetina é uma solução bastante eficaz para os homens que estão tendo dificuldades com a ejaculação precoce.

Isso porque, como boa parte dos problemas da ejaculação estão relacionados com a ansiedade, o remédio atua no sistema nervoso ajudando o homem a relaxar e ter um maior controle da ansiedade.

Por isso, se você está passando por problemas relacionados com a ejaculação precoce, saiba que a paroxetina pode ser a sua solução – converse com o médico urologista e veja a possibilidade do seu uso.

Recomendados Para Você:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *