Infertilidade Masculina: causas e tratamentos

Antes de ler esse artigo, tenho uma pergunta para você: Você tem interesse em demorar muito mais na cama? Quer saber o segredo dos atores pornô e deixar sua mulher LOUCA DE TESÃO? Clique aqui e assista ao vídeo.

A infertilidade masculina é um problema que afeta 30% dos casais que querem ter filhos. No entanto, ela pode ser reversível! Saiba quais as principais causas da infertilidade masculina e quais os tratamentos na matéria de hoje.

Infertilidade masculina

Quando se trata de dificuldades para engravidar, na maioria das vezes, a atenção é voltada especialmente para as mulheres. Depois de se esgotarem todas as possibilidades do problema ser realmente da mulher, procuram-se as causas nos homens.

Erroneamente, ao longo dos anos, a infertilidade masculina era considerada falta de virilidade, o que levava muitos homens a não procurar ajuda médica. Mas esses conceitos arcaicos foram ficando para trás e hoje os homens já têm uma nova visão e expectativa sobre o assunto.

Mas, o que ocasiona a infertilidade masculina? Acompanhe o artigo e saiba definitivamente quais as causas e como tratá-las.

Quais as principais razões da infertilidade masculina?

As principais razões para a infertilidade masculina, que atinge 30% dos casais que querem ter filhos, são:

  • DSTs;
  • Vasectomia;
  • Pouca mobilidade dos espermatozoides;
  • Ausência da produção de espermatozoides;
  • Dificuldade na relação sexual;
  • Espermatozoides anormais;
  • Diminuição do número de espermatozoides, conforme o passar dos anos.

Como é detectada a infertilidade masculina?

O espermograma é o exame realizado para avaliar o sêmen e detectar a infertilidade masculina, bem como identificar as causas que levam a isso.

Através de uma análise macroscópica são observadas características como viscosidade, cor, odor, pH e volume, bem como a concentração, mobilidade e morfologia dos espermatozoides.

Quais as principais causas da infertilidade masculina?

Alguns problemas anatômicos, bem como processos infecciosos e genéticos, podem levam a infertilidade masculina. Os mais comuns são:

Varicocele

Quando se trata de infertilidade masculina a doença mais comum é a varicocele. Ela é caracterizada pela dilatação e tortuosidade nas veias que são responsáveis pela drenagem do sangue na região dos testículos. A varicocele aumenta a temperatura dos testículos, o que interfere diretamente na produção e qualidade dos espermatozoides.

A varicocele pode ocorrer em ambos os testículos, mas por uma razão anatômica, o lado esquerdo é o mais atingido. Ela também pode apresentar-se com vários graus de dilatação, desde bem pequenas até enormes formações que lembram cachos de uvas. Na maioria das vezes, ela não apresenta sintomas, mas pode ocorrer dor local.

Para o tratamento da varicocele o mais indicado é a intervenção cirúrgica, que consiste na ligadura das veias dilatadas e, geralmente, é bem-sucedido.

Infecções e DSTs

As infecções genitais, quando não tratadas corretamente, comprometem o aparelho reprodutor do homem, podendo alterar a produção e a qualidade dos espermatozoides, bem como ocasionar processos obstrutivos. Assim, essas alterações podem levar à infertilidade masculina.

As DSTs também podem causar a infertilidade tanto nos homens quanto nas mulheres. As mais comuns são a clamídia, tricomoníase, ureaplasma e neisseria, que causam infecção no canal da ejaculação, causando alterações nas taxas de espermatozoides.

Os sintomas mais comuns das DSTs são:

  • Dor e inchaço nos testículos;
  • Ardor e dor ao urinar;
  • Corrimento purulento expelido através da uretra;
  • Proctite (inflamação na região anal).

O tratamento varia muito de caso para caso e somente o médico poderá determiná-lo.

Azoospermia

A azoospermia é a ausência de espermatozoides no sêmen e é detectada através do espermograma. Ela pode ser causada por vários fatores, sendo os mais comuns os genéticos, estruturais, endócrinos, maus hábitos de vida e obstrutivos.

Uma das causas da azoospermia pode ser uma alteração diretamente nos testículos que afeta a produção dos espermatozoides, chamada de azoospermia não obstrutiva. Ou, também, por um processo obstrutivo, a azoospermia obstrutiva, que impede a saída dos espermatozoides na ejaculação, apesar de serem produzidos normalmente pelos testículos. Um exemplo simples de azoospermia obstrutiva são os casos de homens que fizeram vasectomia.

A azoospermia não apresenta sintomas clínicos, apenas a infertilidade. Para solucionar o problema, os melhores tratamentos são a fertilização in vitro, ou através da injeção intracitoplasmática de espermatozoide (ICSI), que é feita através de cirurgia onde os espermatozoides são captados dentro dos testículos.

Criptorquidia

A criptorquidia é uma doença genética que ocorre quando um ou ambos os testículos não se encontram na bolsa escrotal na hora do nascimento do bebê.

Na maioria dos casos, ela ocorre por um testículo que não migrou do abdômen para a bolsa escrotal na fase de formação do feto, sendo que os locais mais comuns para a sua retenção são a região abdominal, inguinal e suptraescrotal. Mas, também ocorre casos em que o testículo simplesmente não existe, fenômeno chamado de agenesia testicular.

A criptorquidia, em 90% dos casos, é unilateral, ou seja, apenas um dos testículos não migra, sendo o mais comum o do lado esquerdo.

Apesar de não provocar sintomas e seu diagnóstico ser simples baseando-se apenas na confirmação através do exame físico da ausência do testículo na bolsa escrotal, a criptorquidia deve ser corrigida o mais rápido possível para evitar complicações na vida adulta como a infertilidade masculina e câncer de testículo.

Mesmo assim, após a cirurgia, alguns homens podem sofrer com uma concentração menor de espermatozoides ou até mesmo a ausência deles no sêmen, por existir uma associação genética entre a criptorquidia e a infertilidade.

Fatores hormonais

Uma das causas de infertilidade masculina pode ser uma alteração na produção de hormônios importantes para a produção de espermatozoides. Sendo assim, para qualquer alteração que ocorra no espermograma, os níveis hormonais devem ser dosados.

Conheça, agora, os principais hormônios que podem interferir diretamente na produção de espermatozoides:

  • FSH (hormônio folículo estimulante): valores altos desse hormônio significam que os testículos apresentam alterações que dificultam a produção de espermatozoides. Agora, se os níveis estão extremamente baixos, demonstram que existe um problema em sua produção por falta de estímulo adequada para que o testículo produza espermatozoides;
  • LH (hormônio luteinizante) é responsável pela produção de testosterona pelos testículos. Quando seus níveis estão baixos, ocorre a perda da vontade sexual, dificuldade de ereção e redução da produção de espermatozoides;
  • Testosterona: é essencial para a produção de espermatozoides pelo testículo e para que o homem mantenha a libido e a ereção. Se reposto indevidamente, pode ocasionar a perda total da produção de espermatozoides pelos testículos.

O tratamento consiste em uma avaliação hormonal feita pelo médico e a reposição, quando necessária.

Fatores externos e estilo de vida

Fatores externos também podem ocasionar a infertilidade masculina e agirem diretamente na produção de espermatozoides, como:

Dessa maneira, manter um estilo de vida saudável e de qualidade pode diminuir muito as chances da infertilidade masculina.

Recomendados Para Você:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *