Estilo de Vida

Vela: Conheça as regras do esporte

Vela regras do esporte
Antes de ler esse artigo, tenho uma pergunta para você: Você tem interesse em demorar muito mais na cama? Quer saber o segredo dos atores pornô e deixar sua mulher LOUCA DE TESÃO? Clique aqui e assista ao vídeo.


A vela é um esporte bastante antigo, e ao longo do tempo foi ganhando novas formas e diferentes tipos de classes. No total, quarenta tipos de classes já passaram pelos Jogos Olímpicos na história.

Vela regras do esporte

As regatas são disputadas em embarcações com o mesmo design e mesmas características técnicas em cada classe, para que a competição seja justa e a vitória seja do competidor que estiver melhor preparado fisicamente e demonstrar melhor desempenho. O vento deve ser o maior aliado do atleta, e o vencedor será o que melhor se adaptar às condições do clima e usar o vento da melhor forma.

Nas competições os trajetos são delimitados por boias. A posição dos barcos em relação às boias varia em cada classe. Pode ser outside (barcos passam, por fora das boias), inside (barcos passam por dentro das boias), ou luff (movimentos em ziguezague).

São realizadas várias regatas em cada classe e, ao final, os dez melhores disputarão as medalhas.

Nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, serão dez eventos de vela, sendo cinco masculinos, quatro femininos e um misto.

A ultrapassagem das embarcações possuem algumas regras. Se o barco estiver recebendo vento de ambos os lados, o que estiver posicionado à esquerda deve dar passagem co barco que estiver à direita. Se as embarcações estiverem recebendo o vento do mesmo lado, e estiverem um ao lado do outro, o que receber o vento primeiro deve liberar a passagem para o que recebesse depois. Se os barcos estiverem recebendo o vento do mesmo lado, mas não estiverem posicionados um ao lado do outro, o barco que estiver mais atrás deve dar passagem ao que estiver à frente.

Há algumas características especificas de cada barco, de acordo com a classe. Nos jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, serão as seguintes classes masculinas: Prancha à vela – RS:X, Barco Individual – Laser, Barco Individual (Pesado) – Finn, Barco de dupla – 470, Skifs – 49er. Nas classe femininas, haverá as seguintes disputas? Prancha à vela – RS:X, Barco Individual – Laser radial, Barco de dupla – 470, Skifs – 49er. Haverá, ainda, uma disputa mista, denominada Multicasco com tripulação mista – Nacra 17.

Vale a pena conhecer um pouco mais das classes mais populares e disputadas:

Na classe 470, as disputas são de dupla. Os barcos medem 4,7 metros. É considerado pequeno e leve, com cento e vinte quilos. Para um bom desempenho do barco, é recomendado que o peso da dupla some no máximo cento e quarenta e cinco quilos. É necessário ter bastante técnica e força para esta disputa, já que a leveza dos barcos os torna muito sensíveis aos movimentos dos velejadores, e as torna bastante rápidas. Este tipo de barco possui três velas, proporcionando um maior contato com o vento.

Na classe finn, há um velejador por barco. A embarcado pesa mais de cento e cinquenta quilos. Para que o controle seja bem feito, o velejador deve pesar entre oitenta e cem quilos. Nesta classe, a vela fica na frente do barco, e é uma das maiores do esporte, com dez metros quadrados. Em razão do tamanho da vela, esta classe exige bastante forca e técnica do competidor, para que consiga manejar bem o barco.

A classe laser é uma das mais populares no mundo, por possuir um custo mais baixo de barco e de manutenção. Cada barco pesa até cinquenta e sete quilos, e deve ser tripulada por apenas um atleta. A Laser Radial é uma subdivisão da classe laser, e é própria para mulheres. A área do barco é menor, e pessoas mais leves devem maneja-lo.

Conhecendo um pouquinho das principais regras e características dos barcos, ficará ainda melhor acompanhar as competições dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

Antes de ler esse artigo, tenho uma pergunta para você: Você tem interesse em demorar muito mais na cama? Quer saber o segredo dos atores pornô e deixar sua mulher LOUCA DE TESÃO? Clique aqui e assista ao vídeo.