Sibutramina: Conheça a medicação

A Sibutramina é um remédio feito com o objetivo de auxiliar dietas de emagrecimento com calorias reduzidas – em especial, é recomendado para o tratamento químico da obesidade em adultos.

Sibutramina

Seu funcionamento atua na regulação química do cérebro, trabalhando ao regular os componentes presentes nele, de forma a reduzir a sensação de fome, aumentar a saciedade e diminuir o apetite.

Saiba tudo sobre a Sibutramina, como usar, cuidados necessários e possíveis efeitos colaterais:

Como utilizar?

O uso da Sibutramina exige prescrição médica, e não deve ser feito sem este auxílio profissional, pois age de maneira bastante invasiva no organismo. É necessário seguir as informações passadas pelo médico rigorosamente.

Via de regra, a Sibutramina deve ser tomada pela manhã, uma vez que – se tomada em outros horários, pode gerar problemas para dormir, devido às suas propriedades químicas. A Sibutramina é um remédio de consumo via oral, e pode ser inserida ou uma refeição ou tomada diretamente.

Não é esperado que a Sibutramina gere irritações no estômago ao ser consumida, mas – se o fizer – dê preferência para tomar sua dose diária acompanhada de comida.

Quando não usar Sibutramina

Existem algumas condições específicas que tornam o consumo deste medicamento arriscado. Caso você tenha qualquer uma destas condições e esteja fazendo um tratamento com Sibutramina, ou esteja prestes a iniciar, contate seu médico imediatamente.

  • Se você tiver alergia a qualquer um dos compostos do medicamento;
  • Se você tiver qualquer tipo de desordem alimentar (como anorexia ou bulimia);
  • Caso você tenha pressão sanguínea alta;
  • Caso você tenha histórico de problemas cardíacos ou sintomas incômodos na região (dores frequentes no peitos, frequência cardíaca irregular e enrijecimento dos vasos sanguíneos, por exemplo), ou já tenha sofrido um derrame;
  • Se você possui problemas graves nos rins;
  • Se você possui mais de 65 anos de idade;

Possíveis efeitos colaterais da Sibutramina

Os efeitos colaterais perceptíveis pelo paciente, no caso deste medicamento, costumam estar relacionados a pequenos incômodos, mas não devem ser ignorados.

Qualquer desconforto deve ser relatado para o profissional responsável, uma vez que pode ser indicativo de um problema maior. Os efeitos colaterais a serem observados são:

  • Dor nas costas;
  • Constipação;
  • Tontura frequente;
  • Sintomas de gripe;
  • Dor de cabeça;
  • Mudanças súbitas no apetite;
  • Dor nas juntas;
  • Náusea;
  • Nervosismo;
  • Menstruação dolorosa;
  • Falta de sono;
  • Estômago irritado;
  • Fraqueza;

Cuidados necessários

Ao consumir a Sibutramina, é necessário que o paciente tenha alguns cuidados em relação aos seus hábitos diários, para garantir que o tratamento não se torne algo negativo para o corpo.

É importante evitar misturar esta medicação com álcool ou outros medicamentos não indicados pelo profissional responsável pelo tratamento. A Sibutramina naturalmente causa tontura, e misturá-la com outras substância é potencialmente perigoso.

O fato de você tomar um remédio para emagrecer não o isenta de fazer qualquer outro tipo de esforço para a perda de peso – pelo contrário: é necessário esforçar-se para manter uma alimentação equilibrada e fazer exercícios físicos de maneira regular.

Restrições de idade.

Pacientes com mais de 65 anos de idade não devem ser submetidos a tratamentos com esta medicação, pois não foram realizados testes a respeito dos resultados e da segurança deste nesta faixa etária.

O mesmo pode ser dito a respeito da Sibutramina para crianças com menos de 16 anos, que também fazem parte de um grupo que não foi testado para o componente e, portanto, não devem passar por tratamento com Sibutramina.

Gravidez e amamentação

É essencial utilizar-se um método eficaz de controle da natalidade para homens e mulheres que estejam sob tratamento com esta medicação. Caso a paciente fique grávida ou descubra estar grávida durante o tratamento, é necessário contatar o médico imediatamente.

Não se sabe ao certo os efeitos deste medicamento durante a gravidez, mas – por associação a compostos similares – ele é potencialmente perigoso para o feto e para a mãe durante este período. Recomenda-se, também, evitar consumir a medicação durante o período de amamentação.

Recomendados Para Você:

teste