Priligy: dapoxetina para ejaculação precoce

Priligy

A Dapoxetina, também chamada de Priligy, é um remédio utilizado para o controle de ejaculação precoce em homens a partir dos 18 anos de idade. O medicamente só deve ser tomado com prescrição médica, pois afeta diretamente no funcionamento sexual do corpo.

Trata-se de uma opção química para estimular a duração da atividade sexual, em casos onde a ejaculação precoce atrapalha a qualidade de vida da pessoa. Nestes casos, o Priligy é bastante eficiente.

Entenda o que é o Priligy, e como a dapoxetina age sobre o corpo, facilitando as relações sexuais de quem sofre com a ejaculação precoce:

Como o Priligy funciona?

O medicamento Priligy contém o ingrediente ativo chamado dapoxetina, conhecido por sua capacidade de inibição seletiva da serotonina. Essa capacidade é utilizada para o tratamento da ejaculação precoce em homens.

Isso é feito ao aumentar-se a atividade da serotonina no sistema nervoso. A serotonina é um neurotransmissor responsável pela transmissão de mensagens entre as células nervosas. Durante uma atividade sexual, por exemplo, é ela quem comunica o corpo a respeito dos estímulos que leva à ejaculação. Aumentar o tempo de comunicação deste neurotransmissor, auxilia a aumentar o controle e o tempo levado até a ejaculação.

Como o Priligy é consumido?

O Priligy é vendido em tabletes de dapoxetina, que devem ser consumidos de uma a três horas antes da atividade sexual, para que seu funcionamento esteja no ápice quando seus efeitos forem exigidos.

Não recomenda-se tomar mais de uma dose diária do remédio, e só se deve consumir o Priligy quando houver expectativa de atividade sexual. Ele não é um tratamento regular, que deva ser feito recorrentemente.

Cuidados e efeitos colaterais

Em primeiro lugar, é necessário compreender que o Priligy não é um remédio destinado para o tratamento a longo prazo. Ele não resolve o problema da ejaculação precoce, apenas gera uma opção imediata para evitá-la. Deve-se interpretar seus efeitos da mesma forma que um Viagra, por exemplo, utilizado apenas quando necessário.

O medicamento pode favorecer sono e tonturas, além de interagir com álcool e outras drogas. Recomenda-se evitar o consumo do Priligy com outras substâncias artificiais sobre o corpo, e é importante conversar com seu médico a respeito de possíveis interações com outros medicamentos.

Alternativas ao Priligy

Embora seja uma boa solução emergencial, há diversas alternativas para se lidar com a ejaculação precoce que não dizem respeito ao uso medicamentoso. A dapoxetina é eficiente de forma circunstancial, mas não trata o problema a longo prazo.

Muitas vezes, a ejaculação precoce pode ser tratada a longo prazo com acompanhamento psicológico, ou terapia que permita compreender suas causas. Não raras vezes, o problema está associado com ansiedade ou traumas psicológicos.

Em outras situações, pode-se tratar a ejaculação precoce com exercícios físicos específicos para o problema, que permite o maior controle e um maior conhecimento a respeito da própria ejaculação.

Por isso, o Priligy pode ser sim considerado uma opção eficiente para certos momentos, mas se você sofre de ejaculação precoce, é sempre importante buscar soluções duradouras e mais eficientes a longo prazo.

Recomendados Para Você:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *