Kamagra: conheça este remédio pra ereção

Kamagra

O Kamagra é um medicamento para auxiliar na obtenção de ereções que, nos últimos tempos, vem chamando alguma atenção. Parte disso ocorre em função de seu baixo preço em comparação às opções mais tradicionais do mercado – outra parte é pelo fato de praticamente nenhum país ocidental aceitar sua liberação para consumo.

Entenda mais sobre o que é o produto, como ele funciona, e quais são os riscos de consumi-lo:

O que é o Kamagra?

O Kamagra é um remédio destinado para o tratamento de disfunção erétil alternativo a opções mais conhecidas do mercado. Ele utiliza o mesmo ingrediente ativo que as formas genéricas de Viagra, e pode ser encontrado em tabletes ou cápsulas. Em geral, o Kamagra costuma ser mais barato do que o Viagra ou o Cyalis, o que auxilia na sua popularização, e promete funcionar na mesma forma.

O problema do Kamagra, no entanto, é que ele não é um produto autorizado no Brasil, nem em boa parte dos países ocidentais. Isso significa que ele não pode ser prescrito por um médico, e que sua origem tende a ser ilegal, o que coloca em dúvidas sua autenticidade.

Além disso, sua proibição ocorre pela falta de comprovação de que se trata de um produto seguro para a saúde. Trata-se, portanto, de um produto não recomendado para o consumo de quem preza pela saúde.

Como o Kamagra funciona?

Em teoria, o Kamagra funciona de forma muito semelhante ao viagra, atuando diretamente no favorecimento da ereção através do aumento de fluxo sanguíneo na região do pênis. Assim como os produtos mais tradicionais do mercado, é necessário estímulo sexual em adição ao consumo do medicamento para que haja a ereção.

Seu uso é seguro?

O consumo de qualquer medicamento não licenciado pela Anvisa e por outros órgãos regulamentadores envolve uma grande quantidade de riscos, invariavelmente. É possível encontrar o medicamento à venda na internet, mas isso não quer dizer que se trate de um procedimento legal.

Por ser irregular, os riscos são duplos. Além das motivações que levaram o produto a não ser aceito como seguro pela Anvisa, você pode acabar comprando um produto que seja adulterado, sem nenhum tipo de garantia de que se trata do medicamento correto. Por isso, além dos riscos já inerentes ao medicamento, há os riscos adicionais do seu pertencimento ao “mercado negro”.

Qual a diferença entre o Viagra e o Kamagra?

Em teoria os dois produtos contém o mesmo ingrediente ativo, o citrato de sildenafila. Por isso, os dois produtos supostamente funcionam da mesma maneira: em geral, levando pouco menos de uma hora para fazer efeito, e durando cerca de quatro a seis horas com potencial de ação – variando de pessoa para pessoa.

No entanto, por não ser licenciado, não há testes que comprovem a eficiência do Kamagra, nem que sua composição efetivamente seja semelhante à do Viagra. Além disso, os medicamento sintéticos são conhecidos pela utilização de moléculas espelhadas – muito semelhantes, mas que geram efeitos distintos no corpo.

Por isso, a diferença fundamental entre Viagra e Kamagra é que o primeiro funciona da maneira comprovada, enquanto os reais efeitos do segundo ainda são desconhecidos nos meios clínicos e científicos.

O risco vale a pena?

Se você busca por um conselho para saber se vale a pena recorrer ao Kamagra para poupar um pouco de dinheiro, a verdade é que essa não é uma boa ideia. Embora seja verdade que o Viagra é um produto caro, existem diversas opções que são regulamentadas pela Anvisa e são muito mais acessíveis.

Isso faz com que não seja necessário recorrer a produtos ilegais para se obter uma ereção. A melhor ideia é recorrer a produtos de melhor custo benefício, mas que sejam devidamente aprovados pelos órgãos regulamentadores de segurança da saúde.

Recomendados Para Você:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *